Translate

25 novembro, 2012


teço a vida em árduos pedaços
pesado silêncio
dilacera minhas mãos
em gestos bruscos de arrancar pedras

liberto o veio que corre a seiva 


5 comentários:


  1. a gente vai se despedaçando pela vida

    abs

    ResponderExcluir
  2. o verso despedaçado que nos escapa entre mãos

    Intenso e forte,
    como é muitas vezes tua escrita,
    que sempre aprecio - imenso

    Bjo.

    ResponderExcluir
  3. Tecer a vida é mesmo uma tarefa árdua. Meu abraço.

    ResponderExcluir
  4. Vida árdua, mas sempre em liberdade...
    Também gostei deste teu poema.

    Querida amiga, tem um bom resto de domingo.
    Dado que posso não voltar aqui antes, aproveito para te desejar um Feliz Natal, para ti e para os teus.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. A nossa vida é sempre assim : tecendo em vários pedaços. Mas sempre com nova esperança.
    Bjs.

    ResponderExcluir