Translate

01 novembro, 2009

Repetidas vezes meu silêncio é quebrado por vários gritos de inúmeros lugares, mas ele finge não ouvir e continua quieto.
Quando despertará?
Preciso de um grito em meu silêncio; um grito que ecoe pelos quatro cantos do mundo... Ou de minha vida....
Um grito tão forte que rompa com toda a minha inércia, com toda minha pouca fé ou minha fé nenhuma...
Um grito que me faça crer na razão de existir, na razão da escolha, na diferença entre o bem e o mal, entre o ódio e o amor.
Um grito que me faça fazer porque é preciso ser feito. Acreditando que nada está premeditado, que tudo é feito segundo a nossa vontade...
"Já está escrito, já está previsto." Será isto verdade?!
Mesmo que eu realize a melhor coisa não terei praticado bem algum, pois a missão já me havia sido imposta, ou a pior coisa, não terei pecado?
Ou então, não há nada além desse mundo e se não nos realizarmos aqui teríamos tido uma vida inútil; aí então eu estaria perdendo todo o meu tempo com meu silêncio e escuta...
Mas não creio nisto, não sinto isto.
Em meu silêncio escuto sons vindo de longe, do infinito, e alguma coisa me puxando pra lá.
Alguma coisa doce, fresca como a brisa do amanhã em meio a relva!
E é isto que me acalma e mata o desespero que por ora se apossa de mim, que me tira a angústia da alma, dando-me a calma e a sensação de poder voar como uma borboleta, de poder exalar perfume como as flores e que acima de tudo me dá um gosto enorme do viver!

Um comentário:

  1. seus textos são mesmo verdadeiros instantes poéticos... bjuuu

    ResponderExcluir